Marcadores

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

primeira vez dá esposa na casa de swing

**Conto erótico***



Primeira vez no swing, meu marido me liberou.

Meu nome é Vanessa, tenho 33 anos sou muito bonita e casada à 14 anos com meu marido Cesar 35 anos eu amo muito ele, casamos cedo pois eu engravidei, até uns 3 anos atrás tinhamos uma vida sexual morna, algumas vezes ficavamos até 15 dias sem fazer sexo, mas as coisas mudaram quando eu desencanei de algumas coisas que nos atrapalhavam no sexo como sexo por exemplo deixar meu marido gozar com o sexo oral coisa que eu não podia nem pensar rsrs… Cesar sempre foi mais liberarl do que eu e tinha ideias “loucas” com o tempo fomos experimentando coisas novas que ele sempre trazia como cremes, fantasias e até um vibrador que no começo eu tinha muita restrição em utilizar pois achava desconfortável e frio mas que depois da primeira vez que consegui gozar com meu marido usando ele em mim passei a ter ele em quase todas as nossas transas… basta eu estar bem louca de tesão que falo para o Cesar buscar o nosso amigo e vou à loucura!!!

Bem!, a uns 6 meses uma amiga minha do tempo da escola me confidencializou pelo whatsapp que foi com o marido em uma casa de swing e eu contei para o Cesar que ficou maluco e passamos a fantasiar essa situação, até chegamos a ver pela internet algumas casas de swing e fantasiavamos estar lá quase sempre durante nossas transas até que em um dia durante o sexo onde eu já tinha gozado duas vezes com sexo oral e o Cesar estava quase me fazendo gozar com o vibrador enfiado em minha bucetinha me pediu para por o pau no meu cuzinho, eu já tinha dado para ele o cú algumas vezes e até sentia prazer nisso mas tive medo de fazer com o vibrador na buceta e disse não, mas tava tão bom e eu estava com tanto tesão que o Cesar safado foi me colocando de lado e foi me encoxando, passando o pinto dele na portinha do meu cú e isso tava tão bom, sentir o vibra da minha buceta, o pau dele na portinha do meu cú e junto a respiração ofegante dele e desesperado para entrar em mim que eu fui me libertando até deitar de costas sobre o peito dele, para facilitar um pouco mais o pinto dele roçando no meu cú e o vibrador atolado na minha buceta entrando e saindo até que quando percebi entrou o pau no meu cú, na hora tive um susto porque entrou de uma vez só mas quando percebi que não doeu gozei imediatamente e o Cesar gozou no meu cú…

Nossa aquilo foi maravilhoso, foi um dos orgasmos mais gostosos que eu tive na vida, depois daquilo ficamos na cama nos recuperando e conversando sobre isso e eu mesmo com medo da reação dele falei que tinha a fantasia de dar para ele e mais um homem e isso deixou o Cesar louco para minha surpresa, depois disso quase todas as vezes que faziamos sexo faziamos DP com o pau do Cesar e o vibrador ele adorava pois tinha mais oportunidades de comer meu cuzinho, faziamos ora com ele comendo meu cú e o vibrador na buceta, hora com o vibrador no meu cú e ele comendo minha buceta, aquilo era maravilhoso, compramos diversos tipos de vibradores em formatos diferentes e era tudo o máximo, mas com o passar do tempo aquilo foi ficando monotono pois deixou de ser novidade até que o Cesar me convidou para ir a uma casa de swing.

No começo eu relutei um pouco, na verdade eu tinha medo do que poderia acontecer lá, medo dele querer comer outra mulher ou de não saber o que isso iria provocar em nosso casamento, relutei por um tempo até que aceitei.

Combinamos um sábado, deixamos nossos filhos com minha mãe e fomos para um swing em outra cidade para não ter a possibilidade de sermos reconhecidos mesmo com mascara, saimos de casa umas 20h, estava uma noite bem agradavel, eu fui com uma blusa com pouco decote branca e saia não muito curtq preta e os cabelos presos, o Cesar foi de calça de sarja preta e camisa verde, eu estava nervosa um mix de tesão e medo, no caminho não conversamos muito pensei varias vezes em desistir, chegamos na cidade e antes de chegar na casa de swing o Cesar que já estava com tudo esquematizado parou em um barzinho bem aconchegante à duas quadras do swing para bebermos algo, descemos e tomamos uma taça de vinho branco, era um ambinete bem acolhedor, o Cesar ficou me elogiando, foi beijando minha nuca e me tocando sutilmente e me deixando com tesão, ele falou em meu ouvido, que duvidada que eu fosse ao banheiro e voltasse com a minha calcinha na mão e entregasse para ele, eu ouvi isso e contrai minhas coxas de tesão, senti que fiquei molhada mas resisti e disse: Ta louco?

Ele me falou, esquece que você é a Vanessa casada e mãe de família, hoje é dia de fazermos as loucuras que não fizemos antes e isso me excitou muito… bem na hora que ele falava isso ele me tocou levemente nos joelhos quase entrando dentro da minha saia e fiquei louca. Falei para ele que queria ser comida como nunca e que queria gozar 8 vezes e quando toquei a calça dele senti que o pau dele estava muito duro, quase falei para desistirmos do swing e irmos para um motel mas não queria estragar, quando estavamos terminando o vinho para ir ao swing eu falei para o Cesar que queria ir ao banheiro, chegando lá me olhei no espelho e pensei no que ele havia me falado sobre esquecer quem eu era e pensei que estava em outra cidade distante 100km de casa e pensei que talvez nunca mais teria outra oportunidade e então levantei minha saia e tirei minha calcinha fiquei com medo pois estava tão exitada que pensei que iria começar a escorrer pelas pernas tamanha a minha neura kkk, fui com a calcinha na mão e ao me aproximar o Cesar me falou: Vamos? E eu sutilmente dei um beijo nele, coloquei a calcinha na mão dele e falei vamos e fui para o carro…

O Cesar ficou louco, no estacionamento ele me encoxava e se esfregava enquanto não tinha ninguém por perto isso me deixava louca, entramos no carro e saimos, o carro andou alguns metros e parou em uma rua de comercio fechado e escura e o Cesar começou a me beijar, o calor foi subindo e quase transamos ali na rua, ele começou a me tocar por dentro da saia seus dedos passavam em minha coxa e virilha, ele foi me penetrando com a mão devagar e eu tava com tanto tesão que não aguentei muito e gozei ali na mão dele… O Cesar me olhou e falou já foi a primeira faltam 7 e saiu com o carro, nossa aquilo me fazia ferver por dentro, e fomos…

Chegando no lugar era uma casa grande fechada por muros altos onde um porteiro abria o portão para os carros e entregava um par de mascaras que ficavam apenas na altura dos olhos preta para os homens e branca para as mulheres o uso era opcional ele disse, o estacionamento estava com uns 16 carros, saimos do carro já com as mascaras e me lembrei que estava sem calcinha, eu a pedi para o Cesar e ele falou: “Não, hoje você é uma putinha que não usa calcinha”, fiquei um pouco incomodada pois tinha medo de escorrer minha buceta que já estava mais que molhada mas também fiquei com tesão e segui andando, alguns passos depois e eu já havia esquecido disso, na subida da escada para acesso a casa o Cesar me segurou e falou uma coisa no ouvido que nunca mais vou esquecer, ele falou “Hoje o que acontecer aqui, fica aqui...” aquilo me deu medo e vontade de falar que queria desistir mas já que estava lá não tinha outro jeito, tinha que entrar.

Ao entrar vi que era como uma casa, muito gostosa e bonita era como um bar na entrada, musica boa tocando não muito alta a ponto de podermos conversar sem que outras pessoas mais longe pudessem ouvir, mesas para 2 ou 4 pessoas, casais apenas bebendo e conversando alguns com mascaras e outros sem, fomos para o balcão e pedimos duas espumantes, o Cesar me pegou pela mão para conhecermos a casa e fomos andando, percebi que em todas as portas de entrada haviam uma caixa com preservativos e lenços, na próxima sala era tudo um pouco mais escuro, casais conversavam e se beijavam, passando perto de uma mesa uma mulher loira com mascara me segurou pela mão e pediu para sentarmos à mesa, eu estava com muita vergonha o Cesar quis aceitar e nos sentamos, era uma mesa em L com sofá bem aconchegante, começamos a conversar, durante a conversa percebi que a mulher era bem bonita embora estivesse de mascaras mas o marido dela era um pouco esquisito e meio viado, assim que pude falei ao Cesar que queria sair dali e saimos.

Na próxima sala a coisa estava mais quente, numa grande cama redonda no centro diversos casas trocavam caricias e em sofás ao redor algunas até transavam, aquilo me deixou com as pernas bambas de tanto tesão, o Cesar estava duro como nunca, ficamos ali olhando até que puxei ele para um sofá vazio e começamos a nos beijar, aquilo era o extremo do tesão, eu pressionava minhas coxas com força que parecia que iria machucar e o Cesar começou a tocar meus seios e a beijar meu pescoço, começamos a nos esfregar, o Cesar estava com a respiração ofegante, ele tocava com os dedos os meus grandes labios e o meu grelinho aquilo me deixava com mais e mais tesão, até que vi em um sofá a poucos metros de nós uma mulher de quatro sendo penetrada por trás e ao mesmo tempo chupando um pau enorme de um mulato alto e forte de cabeça raspada, não pensei duas vezes, eu já estava sem calcinha, abri o ziper do Cesar, coloquei o pau dele para fora e sentei com toda força… Ia para frente e para trás como se fosse eu que estivesse no lugar da outra mulher, sendo comida, peguei a uma das mãos do Cesar e comecei a chupar os dedos como se fossem outro caralho e gozei forte duas vezes e pouco depois o Cesar gozou também, me senti até mal porque foi rápido demais e estava muito bom, queria que durace mais tempo. Fomos ao banheiro para nos recompormos e combinamos de nos encontrarmos na porta quando terminassemos, enquanto eu me limpava percebi que meu grelho estava enrome e duro de tanto tesão, minha buceta estava inchada, eu já havia gozado 3 vezes e ainda queria mais e estava louca de desejo, saindo do banheiro escutei em um quarto escuro e vermelho uma mulher gemendo e gritando e fui espiar, lá estavam um casal e um homem gordinho se esfregando, a mulher estava senta no pau de um deles e o outro estava por trás se esfregando e tocando seus seios, foi quando Cesar veio e me pegou por trás, já estava de pau duro de novo e começou a me encoxar e eu fui ficando mole, puxei o Cesar para dentro do quarto e nos sentamos em outro sofá e ficamos vendo os três transando e nos tocando, eu beijava o Cesar e socava uma punheta para ele, enquanto isso ele enfiava um dos dedos na minha buceta e com o outro ficava passando na beira do meu cuzinho, fazendo voltinhas me deixando pronta para dar novamente, foi quando um segundo casal entrou no quarto e se sentou ao nosso lado, era um casal lindo de ver, ambos mais altos do que nós de pele clara e cabelos loiros, ficamos ali próximos e inevitamente começamos as nos esbarrar, Cesar se abaixou e começou a me beijar nas coxas e a por seu dedo em mim, pouco depois estava me chupando gostoso, a mulher que estava sentada a meu lado trocou de lugar com seu parceiro que começou a tocar em mim, fiquei com muita vergonha e apreensiva mas deixei ele me tocar nos braços e depois nos seios, o homem peguou minha mão e colocou em seu pinto por cima da calça, pude perceber que era uma pau bem maior que o do Cesar, tirei minha mão pois fiquei com medo do Cesar perceber, o homem não desistiu e abriu seu ziper colocou o pau enorme para fora e puxou meu braço novamente, não resisti e comecei a punhetiar aquele pau enrome, nessa hora a mulher dele saiu de perto e foi com os outros três que transavam em nossa frente, eu não contava mais com nada e tentei me abaixar para chupar o pau do homem, foi quando olhei para o Cesar e vi que ao mesmo tempo que ele me chupava ele também estava me olhando fazer aquilo, ele não falou nada, continuou a me chupar mais e mais forte, então continuei e comecei a chupar o caralho enorme, enquanto fazia isso gozei na boca do Cesar mas minha vontade era sentar naquele pau grosso desconhecido, estava doida de tesão mas com medo daquilo e puxei o Cesar e falei me come agora e me come com força… O Cesar me respondeu, quem vai te comer é esse cara ai… Não acreditei no que ouvia, o Cesar me levantou e me aproximou do homem, ficamos de juelhos sobre o sofá e comecei a me esfregar nele, seu pau estava entre minhas pernas roçando a minha buceta ao mesmo tempo que estava latejando, ele baixou um lado de minha blusa e começou a me sugar, o Cesar saiu de perto por alguns segundos e quando voltou trouxe um preservativo e me deu, fui tentar colocar naquele pintão e tive até dificuldade de tão grosso que ele era, derrubei a camisinha no sofáe não conseguia achar, o tesão era tanto que não resisti e deixei o homem me penetrar sem camisinha, quando ele me penetrou soltei um grito de tesão pois nunca tinha sentido um pau tão grosso assim antes, era maravilhoso, eu me mexia ia para frente e para trás, subia e descia, o sexo estava maravilho e gozei intensamente mais uma vez, o homem não gozava fácil e continuava a me comer, me colocou de quatro e continuava mais e mais e eu via o Cesar sentado ao lado nos olhando, aquilo me deixava louca, queria retirbuir o que o Cesar fazia por mim, queria o pau dele no meu cú, pedi para ficar em cima do homem e puxei o Cesar, falei, venha me comer agora, quero seu pau no meu cú, Cesar levantou e começou a abaixar suas calças, e tocou seu pau na portinha do meu cú e começou a brincar de repente sem a menor cerimonia atolou tudo no meu cú… Nossa, eu gritei com aquele pau no cú, era uma dorzinha tão gostosa que eu estava adorando, os dois se movimentavam para me comer ao mesmo tempo, enquanto um pau entrava com tudo o outro saia um pouco e depois invertiam, era um sincronismo perfeito eu gozei novamente, comecei a falar que queria um pau para chupar e senti o Cesar gozando em meu cú… Aquilo era maravilhoso, eu estava cansada e suada mas o homem não parava de me comer, o Cesar saiu do meu cú e o homem falou que queria trocar de lugar, não deixei porque aquele pau era muito grosso, foi então que senti o Cesar me penetrando por trás novamente, parecia que estava mais duro do que antes, estava maravilho foi ai que vi um homem se aproximando com o pau duro na mão para eu chupar, eu olhei e para a minha surpresa era o Cesar, quando eu vi aquilo tomei um enrome susto, olhei para trás e percebi que quem me comia era o mulato que estava dando o pau para a outra mulher chupar na sala ao lado, nessa hora tudo estremeceu…. Só pensava que haviam dois estranhos me comendo e eu estava chupando o pinto do meu marido e então GOZEI com tanta intensidade que minhas pernas bambeavam, parecia que eu ia desmaiar, o gozo ia e vinha, eram orgamos multiplos, sem o menor controle de mim comecei a chorar e quando parecia que ia acabar senti o jato de porra na minha buceta e gozei novamente… Não me lembro muito de nada depois disso, só me lembro de estar deitada com Cesar a meu lado nós todos suados e cansados e os homens indo embora pela porta.

Eu não sabia o nome deles nem mesmo consigo hoje reconhecer os seus rostos, essa a noite mais louca de minha vida, no final perdi as contas de quantas vezes gozei mais foi mais de 10 vezes… Se eu contar ninguém acredita.


Esposa na Balada






Esposa na balada

Sabadão a noite estava em casa com minha esposa, e como já fazia tempo que a gente não saia pra uma boa balada, resolvi chamar ela pra irmos a uma boate, até pra sair um pouco da rotina, e ela aceitou, nos arrumamos e fomos, nossa noite estava maravilhosa, estava me sentindo um adolescente de novo, estávamos curtindo muito, cerveja vai, cerveja vem, já foi batendo as vontades de tirar aquela água do joelho, -vou no banheiro e já volto, disse a ela, quando estava voltando percebi que havia um garotão a xavecando, nossa que ódio que me deu naquele momento, fui as preças pra tirar logo satisfação com ele, mas percebi que ela não estava dando confiança pra ele, então resolvi testar a fidelidade dela e ver se ela resistiria o cara, até por que era um rapaz novo e bonito, nossa como me senti orgulhoso quando vi o cara se afastando dela sem conseguir nada, mas derrepente ela puxou ele pelo braço e cochichou algo no seu ouvido e ele saiu novamente se afastando de vez dela, fiquei encabulado com aquilo, o que minha mulher tinha falado com ele?, Só que quando cheguei até ela fiz que não tivesse visto nada e agi com naturalidade, continuamos a aproveitar a noite e percebi que o cara de vez em quando passava perto da gente, e aquilo foi me deixando nervoso e resolvi falar com ela que tinha visto ele xavecando ela, - então se você viu deve ter percebido que não dei nem um pingo de confiança pra ele! Respondeu ela, - sim, percebi, mas também percebi que você disse algo a ele quando ele já ia saindo! Ela engoliu seco, como se estivesse pensando no que iria responder, - disse sim, disse que ele era um gato, só que eu era casada e não poderia ficar com ele, me sinti aliviado, só que começou a passar algumas sacanagens na minha cabeça, como ver aquele cara dando um amasso na minha mulher, mas me toquei que seria maluquice minha e resolvi esquecer aquilo, só que foi em vão, bebemos, dançamos fizemos amizades, mas aqueles pensamentos não saiam da minha cabeça, então cheguei perto dela e perguntei, - gostou daquele rapaz? – qual rapaz, perguntou ela, - aquele que te cantou no inicio da noite, - a ele é muito bonito, mas eu sou casada! Respondeu ela, - e se eu deixasse, ficaria com ele? – tá maluco? De onde arrancou essas idéias? Exclamou meio alterada, - só curiosidade, respondi, percebendo seu nervosismo, alguns minutos depois ela se aproxima de mim e pergunta – tava falando serio de me liberar pra ficar com outro?(ela), - sim estava, mas o rapaz já não está por aqui! (eu) – sim eu sei, mas não quero ficar com ele não! (ela) – então por que está perguntando então?(eu), então ela fez sinais para o lado, me mostrando um cara que estava sentado ao nosso lado, moreno, alto, forte, e bem bonito por sinal, com quem dissesse é aquele que eu quero, - ta bom já que comecei agora deixa rolar, e ela sorriu, - mas como você vai fazer pra ficar com ele se ele já te viu comigo aqui e até agora nem pro seu lado olhou? Perguntei, - deixa comigo, respondeu ela com um sorriso de safada no rosto, então me afastei um pouco dela e fiquei observando, mas meio que irritado ainda, mas o tesão falava mais alto, ela foi se aproximando dele deu um puxada no vestido pra cima e parou na sua frente e começou a rebolar, vi que o cara deu umas olhadas para o lado meio desconfiado, pra vê se me via por perto, não demorou muito e ele se levantou, e ela continuou rebolando no mesmo lugar, só que desse vez encostada no pau do cara, ele foi se soltando e naquela altura já nem se lembrava que a gata, gostosa na sua frente tinha marido e que estava por ali, colocou a mão na sua cintura e começou a beijar seu cangote, e a vadia tava adorando aquilo tudo, e eu também, só que as coisas já estavam passando do limite, o cara já estava com a mão por debaixo de seu vestido, então liguei para o celular dela e disse – chega já amor, você já curtiu demais vamos embora, estarei te esperando no carro, a danada ainda demorou mas uns 15 minutos pra chegar até o carro e quando chegou tive uma surpresa


o cara estava junto, ela veio um pouco a frente e ele ficou meio que esperando ela falar comigo, - o que é isso? Perguntei a ela, - nossa amor, ele é muito gostoso, e tem um pau enorme, não queria só ficar me roçando com ele! Deixa-me levar ele com a gente até em casa só pra sentar naquela vara enorme que ele tem? Fiquei sem palavras, e ela então disse – vou entender isso como um sim, e fez um sinal de ok pro felizardo como que já estava autorizado, abriu a porta de trás do carro e o cara entrou só que ela também entrou e ficou no banco de trás com ele, percebi que já não havia o que fazer, estava ali minha mulher já nos maiores amassos com o cidadão e eu servindo de chover amoroso, parece que ela não estava nem um pouco a fim de esperar chegar em casa, por que já estava praticamente sem roupas no banco de trás, - olha só amor, não te disse que era grande e segurou o pau do cara, extremamente duro com as duas mãos e eu só dei uma breve olhada pra trás, percebendo que realmente era fora do normal, a safada começou a chupar aquela tora, lambia as bolas, babava, tudo que tinha direito, e meu retrovisor se transformou em um DVD portátil passando um filme pornô, depois de bastante sexo oral por ambas as partes ela se apoio nos dois bancos da frente, colocou os dois pés sobre os bancos e sentou naquela vara, começou a subir e descer muito lentamente naquela tora colocando só a metade dentro como se ainda estivesse se adaptando a aquele tamanho todo, mas como poucos segundo a vadia já estava socando com força, o negão segurava seus peitos de forma que deixava marca da suas mãos, fizeram ali umas três posições diferentes, até por que a falta de espaço não permitia muitas manobras por ali, até que ele gozou, encheu seus peitos de porra, os dois ficaram uns minutos se recuperando até que o cara botou suas roupas, bateu no meu ombro e disse – cara você tem uma mulher maravilhosa, não tive outra opção a agradecer, então ele ainda teve a ousadia de dizer que morava ali por perto e pedir pra que eu o deixasse em casa, o deixei em casa, e seguimos sentido a nossa casa, chegando em casa dissemos poucas palavras e já fomos direto para o quarto, fudemos o resto da noite, eu estava já com a cueca toda melada de tanto ver minha mulherzinha levar tora, e me descarreguei quando chegamos, foi uma experiência maravilhosa.